ABS Express

ABS Pecplan no Twitter
A grande histria da Central ABS Pecplan em Rosrio do Sul/RS
Dr. Neimar Correia Severo - Gerente de Produo da ABS Pecplan - 23/04/2010

Em 1983, a Pecplan Bradesco, na poca denominada Fundação Bradesco - Pecplan, iniciou a construção de uma Central de Tecnologia de Sêmen na cidade de Rosrio do Sul, RS, que se destinava prioritariamente ao processamento de sêmen das raças europias de corte e leite.

Era considerada na poca da instalação a mais moderna Central de Inseminação Artificial da Amrica Latina, utilizando equipamentos e tecnologia de comprovada eficiência, voltada à industrialização de sêmen de animais geneticamente superiores, capacitados para atender às exigências do mercado nacional e internacional.

Figura 1. Fotografia area da Escola de Inseminação Artificial e da Central de Tecnologia de Sêmen da Fundação Bradesco-Pecplan, em outubro de 1984.

Em julho de 1984, a Central recebeu os primeiros touros importados dos Estados Unidos, oriundos da ABS Global, na poca denominada American Breeders Service, empresa pioneira e lder mundial no segmento. Eram cinco touros, sendo um Holandês (Royal), um Angus (Rito Power), um Red Angus (Creek Side Cooper) e dois Polled Hereford (Ponderosa Enforcer e Butler).

No incio de outubro de 1984, com a incorporação do primeiro touro charolês mocho nacional, ALB Pedro, de propriedade de Drio Estivalet Cceres, a Central iniciava suas atividades de produção. Foram meses difceis, porm de grande satisfação para seus colaboradores, pois ali se concretizava o sonho do Sr. Amador Aguiar, fundador do Bradesco e grande incentivador da inseminação artificial em construir uma Central de Tecnologia de sêmen no Sul do Brasil.


Figura 2. Fotografia dos primeiros touros Polled Hereford importados da ABS Inc., Estados Unidos, em julho de 1984, Ponderosa Enforcer e SIP Butler.

Junto à Central j funcionava h dois anos uma escola da Fundação Bradesco para formação de tcnicos em agropecuria, com o fim de qualificar mão-de-obra nos cursos de inseminação artificial de bovinos e ovinos, apicultura, capatazia rural, doma de eqüinos e operação de mquinas agrcolas.

No ano de 1985, foi organizada a primeira exportação de sêmen para os Estados Unidos, graças a uma parceria entre a Pecplan, três criadores da raça charolesa e uma empresa importadora. O quarentenrio j qualificado para exportação foi preparado para receber os quatro touros charoleses com 5 gerações de mocho - Azzam Cacau, Detetive, Dom Quixote e Durango. Os trabalhos foram supervisionados pelo Dr. Harry Jordan, mdico-veterinrio do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos – USDA e 4.000 doses foram preparadas para exportação.

Graças aos Srs. Luis Carlos Trabuco Cappi, então diretor da Pecplan, João Cariello de Morais Filho, superintendente da Fundação Bradesco e Dr. Everton Caravaca da Silveira, gerente da Central, a unidade de produção de Rosrio do Sul cresceu e se tornou uma das mais importantes centrais de tecnologia do pas. 


Figura 3. Fotografia do primeiro grupo de touros Pardos Suços nacionais e importados, em 1986.

Muitas pesquisas foram desenvolvidas naquela Central, inclusive um trabalho pioneiro de tecnologia de sêmen ovino congelado, atravs de uma parceria entre a Universidade Federal de Santa Maria – UFSM e a Pecplan, entre 1985-1986, coordenado pelo Prof. Jairo Pereira Neves.


Figura 4. Visita de tcnicos da ABS Inc. em 1991, Srs. Marti Weismann, responsvel pelo manejo de touros e John Schenk, diretor dos laboratrios, acompanhados pelo Dr. Neimar, responsvel pelo laboratrio, Dr. Everton Silveira, Gerente da Central de Rosrio do Sul e Dr. Eduardo Correa Pinto, gerente da Central de Uberaba.

 A parceria com a ABS foi fundamental para a liderança da Pecplan no mercado da inseminação artificial e muitos especialistas da empresa colaboraram para o seu desenvolvimento. O Dr. Srgio Falcão Padilha, pioneiro no uso do sêmen congelado no Brasil, ajudou na qualificação dos profissionais que ministravam os cursos de inseminação e o Dr. John J. Sullivan esteve nas centrais em 1985, para qualificação dos laboratrios nos padrões tcnicos da American Breeders Service.

Muitos touros eram importados dos Estados Unidos e iam parar em Rosrio do Sul, graças às condições climticas favorveis  para as raças europias e a parceira ABS – Pecplan continuava fecunda e prspera.

Vrios tcnicos colaboraram para o desenvolvimento daquela Central, destacando-se o Dr. Everton Silveira, veterinrio e seu primeiro gerente, Mrcio Ribeiro, zootecnista, a Dra. Eunice Schossller, veterinria e segunda gerente, o Dr. Fernando Gazzapina Martins, veterinrio e o Dr. Neimar Correa Severo, veterinrio, seu terceiro e ltimo gerente.

Em 1996, com a aquisição da então Pecplan Bradesco pela ABS Global, as importações foram incentivadas e vrios touros importantes das raças red angus, angus, jersey e holandês foram alojados em Rosrio do Sul, visando tambm o mercado de exportação. Entre 1997 e 2002, chegaram 31 touros norte-americanos na Central gacha.


Figura 5. Fotografia da festa de comemoração dos 20 anos da Central de Rosrio do Sul (na foto Jesus Martinez, diretor para a Amrica Latina, Marcelo Baggio, supervisor do RS, Neimar Severo, gerente da Central, Guilherme Severo,  em  2004.

O Paraguai j importava material gentico produzido na ABS Pecplan, porm a primeira exportação de sêmen bovino para o Uruguai foi realizada em 2003, graças a parceria entre a ABS Pecplan e a empresa Golar. Em novembro daquele ano o Dr. Neimar, então gerente da unidade do Sul, entregou um botijão de sêmen, com 700 palhetas congeladas de vrios touros europeus de corte e leite, na aduana uruguaia ao Sr. Pablo Harispe, representante do importador, fato indito na exportação de material gentico bovino para aquele pas. Em agosto de 2005 foram exportadas as primeiras 600 doses de brangus para Argentina.

Em junho de 2006, a Central do Sul encerrou suas atividades, devido à re-estruturação da empresa no Brasil, onde todas as atividades administrativas, comerciais e industriais foram transferidas para a Central de Delta, MG. Encerrava assim o ciclo daquela unidade gacha, onde mais de 10 milhões de palhetas foram produzidas ao longo de 22 anos de atividade e que foi muito importante para a multiplicação gentica das raças bovinas de corte e leite no Brasil e no mundo.