27/03/2017


    Primeira etapa do Tour do Corte termina com visita a 7 fazendas

    Durante uma semana, equipe ABS viajou pelo estado de Mato Grosso, conhecendo rebanhos Nelore e de cruzamento industrial


    Por Faeza Rezende, assessora de imprensa

    A primeira etapa do Tour do Corte 2017 terminou no último sábado (25) com sete fazendas visitadas no estado do Mato Grosso. Durante uma semana, a equipe ABS visitou propriedades com diferentes sistemas de produção e de seleção, que utilizam ou fornecem genética para a ABS. A partir de hoje (27), o grupo segue para a segunda fase do roteiro com visitas a propriedades de Goiás e Bahia.
    "Cada edição do Tour é uma experiência diferente. Essa é a oitava edição da viagem técnica e  já nesta primeira semana observamos o avanço da pecuária brasileira. A cada ano, encontramos um gado mais produtivo, eficiente e lucrativo”, comenta Cristiano Ribeiro, gerente do Departamento Técnico Corte da ABS, que organiza o roteiro. Ao todo, a comitiva conta com 15 participantes.
    A viagem começou em Nova Mutum, na Fazenda Kangayan, do criador Olímpio Risso de Brito, que está no mercado há mais de 30 anos. São mais de dois mil animais Nelore registrados. “Um diferencial da seleção é a realização de uma prova de ganho de peso a pasto desde os anos 90”, comenta Ribeiro.
    No mesmo município, a comitiva passou pela Fazenda Jacamin, de Marcos Vilela, que desenvolve pecuária de ciclo completo - cria, recria e engorda - além de seleção de Nelore PO que conta com 600 fêmeas. “Começamos nosso trabalho em 99, sempre selecionando com base no desempenho a pasto e com foco nas avaliações genéticas”, afirma o pecuarista, que utiliza dois programas de melhoramento - PMGZ e ANCP. Na propriedade, foram revisadas progênies dos touros Ditador da MN, Playboy Mat, Sherlock Mat, Rastan Mat e Mandarim.
    A fazenda Santo Antônio, em Barra do Bugres, de Agostinho Sansão, também integrou o roteiro. Lá, o grupo acompanhou o resultado do investimento recente em cruzamento industrial. “Hoje a pecuária está mais exigente, industrializada e mecanizada”, avalia o patriarca, ressaltando que investimentos em genética, nutrição e manejo são fundamentais para o setor.
    Na Fazenda Ressaca, do Grupo Grandene, no município de Carceres, o diretor Ilson Correa mostrou o trabalho genético focado em produtividade. “Temos uma equipe de profissionais e aliada a assessoria da ABS pensamos em uma pecuária cada vez mais rentável”, ressaltou, contando que além de sêmen ABS, na propriedade também é utilizada a tecnologia do ABS NEO. Também em Cárceres, a equipe ABS passou pela Fazenda Furna Linda, do Grupo Cometa, com 25 anos de seleção de Nelore.
    O pecuarista Antônio Maercio Djorgi recebeu o grupo na Fazenda Aruã em Porto Estrela. A propriedade mantém o foco de cruzamento industrial desde 1991. “Por ano, produzimos cerca de 1.800 bezerros. Ao machos desmamamos com 280 a 290kg e as fêmeas com 260 a 269 kg. E temos obtido sucesso com esse perfil de animais”, comenta. 
    No município de Chapada dos Guimarães, o grupo foi recebido pelo pecuarista Roberto Garcia na Fazenda Alves Pinheiro. Na fazenda, e é realizado trabalho de seleção de Nelore há 35 anos, inclusive com base em avaliações genéticas da ANCP e do PMGZ. “Há dois anos, iniciamos o desafio das precocinhas e estamos conseguimos bons resultados. Por isso, no ano que vem, queremos incluir 100% do rebanho no programa. As novilhas pariram bem e conceberam bem. Então, vamos continuar desafiando para identificar mais cedo as boas mães”, comenta o produtor, que é dono do touro Apple que estreou recentemente na bateria da ABS.
    A partir de hoje, o Tour do Corte continua em Goiás, onde a programação é passar pela Fazenda de Gil Pereira e a seleção de Nelore Paranã. Depois, a equipe segue para a Bahia. Em Barreiras, se reúnem com representantes do Grupo Ipê e da Agropecuária Jacarezinho, e também passam pelas propriedades de Antônio Balbino e Toddy Kenneth Top.

    Comentários

    Nenhum comentário foi enviado até este momento. Seja o primeiro.