07/07/2017


    ABS vai exportar 20 mil doses de sêmen para Índia

    Central da ABS, única hoje no Brasil apta para o processo, fará segunda exportação para o país berço do Zebu


    Por Faeza Rezende, assessora de imprensa

    A ABS enviará 20 mil doses de sêmen de animais Gir Leiteiro para Índia nos próximos meses. A central é a única no Brasil autorizada para a realização do procedimento. Essa será a segunda exportação de material genético para o país berço do Zebu.
    "Conseguir essa nova licença para exportação significa muito para nós da ABS e também para o agronegócio brasileiro. A Índia é, sem dúvida, o maior mercado para a genética zebuína", destaca Rodrigo Moraes, coordenador de comércio exterior da ABS.
    Ainda segundo Moraes, o grande diferencial para a autorização da exportação foi a rigidez de biossegurança adotada pela ABS. "Desenvolvemos na Central um trabalho de excelência, seguindo o padrão internacional. Além disso, reafirmamos a qualidade da nossa genética comercializada no Brasil. Afinal, estamos enviando sêmen de reprodutores que compõe o nosso portfólio nacional", afirma.
    O material genético a ser exportado é de dois touros diferentes: Teatro II da Silvânia e o Soberano da Palma, que foram coletados na Central em Uberaba (MG). O envio será feito em duas etapas. O primeiro lote, com 12 mil doses, chegará ao destino em agosto. ?Todo o procedimento é feito através do Porto Seco de Uberaba, que tem facilitado muito nosso trabalho?, destaca Moraes.
    Os produtos serão enviados para a ABS Índia, que ficará responsável pela comercialização do sêmen por lá. Cerca de 90% dessa primeira remessa já está destinada ao médico veterinário, coronel Kailash Nath Yadav, que esteve em Uberaba no começo do ano para conhecer melhor a criação do zebu brasileiro. "A visita do importante criador ao Brasil foi viabilizada pelo Projeto Brazillian Cattle, da ABCZ, que ajudou muito na liberação da licença", informa o coordenador de comércio exterior da ABS.
    A Índia tem um volume de inseminações cerca de 10 vezes maior que o Brasil, atingindo mais de 120 milhões de doses /ano. "Estamos consolidando a abertura de um mercado fantástico, muito promissor para a genética zebuína de nosso país", comenta o gerente de produção da ABS, Fernando Vilela Vieira, acrescentando que essa negociação também facilita a abertura de outros mercados asiáticos.
    Essa é a segunda exportação de sêmen feita pelo Brasil para a Índia. A primeira, depois de cinco anos de negociações, foi realizada em 2015, quando foram enviadas mil doses de sêmen de outros dois touros provados da bateria Leite Tropical da ABS, Diamante de Brasília e Castelo TE Kubera.

    Comentários

    Nenhum comentário foi enviado até este momento. Seja o primeiro.
    1