24/07/2015


    Plantel de MT tem genética de campeão mundial


      Animais herdam características de holandês que originou atual nº 1 da Raça Girolando

    Touro renomado mundialmente, Bolton é a expressão do valor da raça holandesa em plantéis mundo afora. E nos currais mato-grossenses, onde o leite segue em franca expansão, não poderia ser diferente. A mesma genética campeã que emplacou os touros que hoje lideram o Sumário Nacional da Raça Girolando 2015 também é encontrada em animais que vêm chamando a atenção em exposições agropecuárias e competições realizadas no Estado. No Grupo Cinco Estrelas, a linhagem diferenciada produzida pelo touro Bolton é uma das grandes apostas de aprimoramento do plantel. A empresa produziu em apenas um ano 500 embriões com o uso de sêmen de Gillespy (DE-Su Gillespy-ET), filho de Bolton e reprodutor igualmente de grande projeção mundial. Os animais já começaram a ser ofertados ao mercado, com demanda garantida entre produtores de leite mato-grossenses e de Estados como Pará e Rondônia. O plantel Gv5, marca comercial do grupo que lidera o mercado regional de melhoramento genético, também possui cinco fêmeas jovens com 12 meses de idade filhas da Laranja da Santa Luzia, nada menos que a mãe do atual campeão do ranking do Girolando no Brasil, o touro Imperador FIV Ribeirão Grande. Ele é o primeiro no ranking Girolando 5/8 e líder isolado em PTA (capacidade prevista de transmissão). O reprodutor está no Catálogo Leite Tropical da central de sêmen ABS Pecplan - multinacional que também oferta ao mercado várias opções de touros selecionados, entre eles o Akiles FIV Gv5, o primeiro touro Gir Leiteiro de Mato Grosso a ingressar numa central de sêmen. Na Gv5, as fêmeas filhas da Laranja da Santa Luzia agora se incumbem de continuar propagando a tradição do Girolando e fazem parte do time de competições de pista e futuramente serão doadoras do Grupo Cinco Estrelas, conforme o trabalho empreendido pelo empresário Getúlio Vilela. “Reunimos genética de alto valor no mundo para produzir em Mato Grosso, no coração do Brasil, o que há de melhor para o leite. Essa genética diferenciada com o clima tropical e o pasto farto no Estado dão ao produtor a receita certa para um verdadeiro boom em nossa bacia leiteira”, afirma o presidente do Grupo Cinco Estrelas.

    Escolha certa - Conforme instrução técnica da Embrapa Gado de Leite, produtores que querem aprimorar o plantel, entre outras estratégias de melhoramento genético, devem seguir algumas regras básicas na escolha de sêmen de touros provados, incluindo a avaliação da chamada PTA, a produção transmitida para a progênie. A PTA considera aspectos como a capacidade de lactação e o índice de gordura no leite nas fêmeas descendentes desses touros, características decisivas à produtividade e ao valor comercial de qualquer rebanho. Pesquisadores da Embrapa esclarecem que em países como o Canadá, por exemplo, essa avaliação genética chega a levar em conta 29 características diferentes de conformação do animal, acrescidas de cinco características auxiliares: facilidade de parto, efeito maternal, facilidade à ordenha, vida produtiva e contagem de células somáticas, técnica que indica o estado de sanidade do úbere. “São técnicas que tornam o investimento em melhoramento genético cada vez mais assertivo. O uso de todas essas pesquisas e tecnologia é um aliado do pecuarista do leite na hora de aperfeiçoar seu rebanho e ter cada vez mais balde cheio, levando leite de qualidade ao consumidor”, explica o zootecnista Juliano Balduino.

     

    Assessoria de Comunicação Grupo Cinco Estrelas

     

     

    Comentários

    Nenhum comentário foi enviado até este momento. Seja o primeiro.